Como sobreviver a festinhas de crianças para quem fez cirurgia bariátrica ou gastroplastia.

Bom… como todo mundo sabe eu cai na estatística dos 30%. Isso significa que eu voltei a engordar após a cirurgia. (Não tanto quanto antes mas não virei essa borboleta que tanto falam por aí) .

Mas não é por isso que eu estou imune aos efeitos colaterais da cirurgia.  E como todo bom gordinho eu sofro das tentações de comer como se não houvesse amanhã.

Isso acontece muito em festinhas de crianças.

A tentação é forte. E acredite em mim. Já sai muito ruim de muita festinha de criança.

Se você não sabe, eu sofro de dumping. E eu na verdade agradeço por isso porque se não eu voltaria a comer como um mamute que acabou de despertar da era do gelo.

Tá eu aceito!

Depois de tanto entrar pelo cano aprendi a me controlar. E por mais incrível que pareça não faz tanto tempo assim. Gordo é foda.

A dica na verdade parece idiota. Salvo raríssimas exceções, eu não costumo ter dumping com comida salgada. Então bolinho, quibe, coxinha não me afetam (contando que eu não exagere, é claro). Mas pra ser sincero eu nem me importo  muito com eles. A minha Kriptonita são os docinhos.

Caramba… tenho certeza que foi o capeta em pessoa que inventou a receita do brigadeiro. Não é possível!

Minha sorte é que é no final da festa.

Mas o refrigerante não. E o primeiro erro é tomar refrigerante normal. Na hora não faz nada e depois da coxinha é perfeito. Mas o refrigerante me da um dumping uma hora e meia depois. Doido né!

Então eu cortei o refri normal e troquei pelo zero. Não é a mesma coisa mas isso permite que eu converse coma as pessoas sem aquele olhar de peixe morto. É horrível!!!!

Aquele olhar de peixe morto.

Eu descobri que se intervalar refri com água eu me sinto superbem. Então é agua e refrigerante. Isso faz com que eu não cima muito salgadinho. Não me pergunte porquê.

Depois do parabéns é que a coisa complica pra mim. Vem bolo, vem sorvete, brigadeiro, beijinho… nossa só de escrever já engordei um quilo.

Minhas pupilas se dilatam. Meus instintos ficam a flor da pele e eu tenho vontade de atacar o garçom, correr com a bandeja de docinhos e me esconder em cima do brinquedão!

Meeeeeeeu! E muito difícil pra mim. Sério. Eu tenho que me preparar antes da festa pra não comer muito.

Aí quando chega aquela bandeja enorme repleta de docinho eu faço aquela cara de paisagem e pego um… tá bom… tá bom… eu pego dois e sento numa mesa  quietinho.

E essa é a parte mais difícil. Eu vagarosamente dou uma mordida no brigadeiro. Devagar vou apreciando e logo em seguida saio. Deixo lá na mesa solitário aquele lindo e belo meio brigadeiro.

I'm fat let's party
Segura se não o bolo acaba antes do parabéns!!!!

Arranjo algo pra fazer. Vou ao banheiro, ou converso com alguém. Sei lá! Invento na hora.

Aquele monte de água e refri zero que eu fui tomando na festa ajudam nessa hora.  Isso retarda o efeito do dumping.

Depois do role, volto à mesa e como o que restou dos dois docinhos e espero o bolo.

Ai dou mais um tempinho. Dou uma volta, bato um papo.  E meia hora, vinte minutos depois eu provo o bolo.

Perceba que eu disse provo e não como !

Minha cara comendo o bolo
Minha cara comendo o bolo

É isso aí, só provo. Sabe por quê? Porque aqueles dois docinhos foram suficientes pra iniciar o processo do dumping mas não são suficientes pra me fazer passar mal. Esse início de dumping faz com que eu perca a coragem de detonar o bolo também.

Então pra resumir esse textão. Eu como é junto intercalo refri zero e água. Isso ajuda a eu não comete muito salgadinho.  Quando vem os doces eu pego pouco e os como devagar. A prestação mesmo! Espero uns vinte minutos pra comer o bolo ou outro doce e aí a vontade selvagem de comer doces fica mais controlada.

Bom, é assim que eu ando sobrevivendo às festinhas infantis e tem dado certo.

Tem gente que não tem fissura por doces como eu. Mas o ponto fraco é o salgado, ou a cerveja! Eu acredito que você deve intercalar com copos de água e refri zero.

Bebeu um chopp. Intercala com uma água ou até duas. Seu negócio é salgadinho. Intercala com um ou dois copos de água e refrigerante zero e da uma volta.

O mais difícil depois da cirurgia é perder o hábito de gordo. Repara como as pessoas magras se comportam em relação a comida. Elas só beliscam porque estão distraídas conversando ou se divertindo. Foca na diversão e não na começão e sobreviva até o final na festinha infantil!

Foca na diversão!
Foca na diversão!

O que alguém que fez gastroplastia ou cirurgia bariátrica NÃO DEVE DEVE FAZER NO NATAL E ANO NOVO, ou seja, evite o dumping,

E ai pessoal… já estamos quase em Fevereiro e eu estava de férias, então resolvi escrever esse post explicando o que acontece com uma pessoa que fez gastroplastia ou cirurgia bariátrica no Natal e Ano Novo. Então ai vai:

Comendo como o Imagem do Geleia dos Caça-Fantasmas
Comendo como o Geleia dos Caça-Fantasmas

1º – Pode começar a chorar… você não vai conseguir comer todas aquelas guloseimas. 

Se você for como eu… um comedor compulsivo posso afirmar que você vai tentar, mas eu não recomendo.

Depois de anos ainda é difícil se acostumar a não comer tudo como o Geleia dos Caça-Fantasmas. O que acontece depois de alguns anos é você olhar pra tudo aquilo e escolher o que você vai encarar primeiro, em segundo e em terceiro e só. Se eu passar disso é dumping na certa. Mas e se você não aguentar? O que fazer? Bom ai vamos para o segundo tópico

Ai vem a Tentação
Ai vem a Tentação – vai que dá mais um!

2º – E se eu continuar a comer? Vai entrar ou vou entalar?

É vai entrar sim, mas não como era antes. Ontem no restaurante eu vi um cara colocar no prato dele 7 ou 8 pasteizinhos. Ele rapelou todos os pasteis disponíveis na bandeja, fora as mandioquinhas fritas e as polentas fritas!!!! Eu consegui comer só 3 e é muito heim!!!! Depois disso fiquei satisfeito, mas a minha gordice ficava falando… vai que dá mais um… vai que dá… Dessa vez eu não entrei na jogada do diabinho… mas no Natal e no Ano Novo vou contar. Foi difícil… e muito.

Quanto entalar , no meu caso eu só entalo com pedaços de carne mal mastigados… em um churrasco eu tenho que tomar cuidado. E quando acontece só tem duas coisas a fazer, chamar o Hugo ou esperar a natureza trabalhar.

Nas festas é complicado e não vou mentir as vezes eu acabo exagerando. Mas se você exagera o que acontece? Ai vamos para o terceiro tópico

 

 

É DUMPINGGGGGG... É DUMPINGGGGG!!!!1
É DUMPINGGGGGG… É DUMPINGGGGG!!!!1

3º – E se eu passar do limite o que acontece?

Ai amiguinho ou amiguinha…. é Tetraaaaa… é Tetraaaaaaa… quer dizer: é Dumpinggggggg… é Dumpingggggg.

No começo é bom… e você diz pra você mesmo…. Hummm não to sentindo nada…. tá bom… tá delicioso e você vai comendo… vai comendo… e até que a sensação de satisfação avisa você que já deu… tá de bom tamanho. E você como pessoa consciente só pega aquela última garfada de farofa da sua tia.

Tá tudo muito bom… bom…tá tudo muito bem…bem mas realmente o que eu queria é que eu não tivesse comido aquela farofa…

Começa o suadô!!!
Começa o suadô!!!

Primeiro começa o calor. Inexplicavelmente o recinto começa a ficar quente e você desesperadamente  procura a

saída do ar condicionado ou o ventilador mais próximo. Mas mesmo assim o suor começa a escorrer pela suas costas, descendo devagarzinho. As pizzas debaixo do braço começam a querer sair pra fora do lugarzinho destinados a elas.

É ai que você começa a se separar da turminha, você precisa de ar.

Ai então vamos para a 4ª etapa:

 

 

Ai que festa chata... Ai que sonoooo!!!!
Ai que festa chata… Ai que sonoooo!!!!

4º – Depois do suador vem o quê?

 

Aquele suador é um saco, mas mesmo assim você vai pra perto da porta e fica lá aproveitando o ventinho que vem pela fresta e continua na conversa, mas de uma hora pra outra algo acontece… a conversa começa a ficar menos interessante. Tudo passa a ficar chato e monótono. Você olha para aquela montanha de comida despejada na mesa e se pergunta: Pra que tudo isso?? Pra que as pessoas estão festejando??? Qual o sentido da vida??? Então você procura uma cadeira, se aconchega nela e chega a conclusão que seria ótimo se houvesse por ali uma rede, ou quem sabe até mesmo, ao invés daquela mesa cheia de comida, uma cama de casal king size.

O desânimo aparece e você só quer ficar quietinho no seu lugar, tudo fica meio chato. Pois é… depois da comilança vem a suadeira e depois o sono. Esse sono é proporcional à quantidade de comida que você comeu.

Mas não é um sono comum, é uma moleza, uma falta de vontade de fazer qualquer coisa.

Só voltando no tempo mesmo pra desfazer a merda que você fez.
Só voltando no tempo mesmo pra desfazer a merda.

Então você tem duas alternativas: Procurar uma mesa ou um canto pra dormir ou ficar com cara de bosta na festa até essa droga passar. Não tem outra alternativa a não ser se você tenha uma máquina do tempo e impeça a sim mesmo de comer aquela última colherada de manjar branco da sua tia.

5º – Shake baby… shake.

Não importa se você tirou um cochilo, hibernou até o próximo verão ou se ficou com aquela cara de saco cheio a festa toda – uma hora essa sensação passa e você já fica animado pra comer mais, o que é estranho já que você acabou de passar mal.

A festinha começa a ganhar cor de novo, você até volta da dar risada sem ser aquela risadinha social pra disfarçar o seu tédio.

Mas aquela vontadinha de comer mais alguma coisa começa a aumentar e você começa a falar para si mesmo: PARA DE GORDICE… TAVA PASSANDO MAL A CINCO MINUTOS ATRÁS E JÁ QUER COMER DE NOVO… GORDO BURRO! E então você começa a disfarçar e fazer de conta que não existe uma mesa do tamanho da Avenida Champs Elysées na sua frente, cheia de guloseimas.

Sério... eu juro.
Sério… eu juro.

Você fica conversando e disfarçando até que de repente sua mão começa a tremer… Você olha pra ela e fala: VIXE! Disfarça e dá um sorriso e continua a conversa.

A tremedeira aumenta até que de repente vem uma fome monstra como se fosse um Tsunami tomando conta do seu estômago… ou do que sobrou dele. Ai você começa a se transformar no Geleia dos Caça-Fantasmas de novo!!! Mas você se segura, afinal você acabou de passar mal e está tremendo como um ex-viciado. Mas que porra é essa????

É só a resposta do seu corpo à montanha russa alimentar que você o fez passar.

É simples… você jogou açúcar no seu corpo como se fosse um maquinista alimentando uma fornalha. Ele vai lá e tenta absorver tudo na mesma velocidade e então quando termina vem aquele vácuo de açúcar e seu corpo acha que está morrendo de inanição.

Quero comer de novoooo!!!
Quero comer de novoooo!!!

A vontade é começar a devorar tudo de novo como um animal selvagem mas calma que eu já passei por isso milhares de vezes.

No meu caso, as vezes aparecem manchas na visão, como se alguém tivesse jogado uma luz bem forte no meu rosto. (Aliás meu oftalmologista disse que isso é muito ruim para os olhos)

O melhor a fazer é respirar e manter a calma. Se você colocar açúcar no seu corpo de novo ele vai parar de tremer até que bem rápido, mas é como se você estivesse entrando na montanha russo de novo. Não faça isso… calma.

A melhor forma de fazer isso passar é se alimentar direito, com alimentos que demoram a liberar açúcar no sangue, como carnes, pães integrais, alimentos com fibras, em fim… nada de se jogar no pudim. E sem exagero, não parece mas seu corpo passou por um momento de stress grande, afinal para o seu corpo você estava morrendo de verdade. Se alimente devagar, sem pressa. A vontade é de engolir tudo para a sensação passar, mas não faça isso, vai devagar que quando o corpo perceber alimentos ele vai se normalizar.

Já aconteceu de eu ficar com tremedeira e a visão ofuscada horas e horas depois de comer algo, sem passar pelas etapas anteriores de suor e sono. Até agora não sei porque isso ocorre. Nesses momento nem sempre estou em um local onde eu possa fazer uma boa refeição então a minha tática que NÃO RECOMENDO PRA NINGUÉM, é comer uma bala, ou um quadradinho de chocolate. Eu digo comer a bala porque o açúcar tem que entrar rápido no corpo, tem que mastigar. Mas só… se passar disso tudo piora. Faço isso para os sintomas passarem e logo procuro um lugar para ter uma refeição decente. Funciona comigo mas sei que é a última opção.

6º – Pronto, você sobreviveu

Sobreviveu mas não foi bom não. A sensação no final é de como se você tivesse passado por dentro de um moedor de carne.

Claro que tudo isso que eu conto acontece comigo. Tem gente que é diferente, então, se você tem uma história pra contar compartilha com a gente, coloca aqui nos comentários.

 

Update!

Nussa, mas faz tempo que eu não escrevo aqui heim!!!! Puxa…

Esses dias eu estava olhando as mensagens no facebook e descobri que eu tinha milhares de mensagens desde 2012!!! Várias pessoas dizendo que o blog ajudou na decisão de fazer ou não fazer a cirurgia!!! Fiquei muito feliz e me senti bem burrico também por ser tão tapado no Facebook!!!

Muita gente perguntando sobre como eu estou e o que aconteceu… Bom então ai vai uns upgrades!


 

 


Bom pra começo de conversa eu não fiz o tal de Plasma de Argônio, mâââââsssss tenho uma amiga que fez apenas uma aplicação e ela achou muito interessante….

O problema é que o convênio não cobre e cada aplicação não sai por menos de R$ 1.000 e são necessárias no mínimo 3.

Eu sempre me pergunto se eu faria… eu não sei dizer… eu estabilizei no 120Kg, as vezes bate os 114 e depois volta… tá meio sanfona mesmo e vou dizer isso é um pouco torturante.

Uma coisa que me ajudou muito a perder peso foi o Jiu-Jitsu!!! Sim… Meus irmãos me convenceram a praticar Jiu-Jitsu. Depois de 2 tentativas frustradas de fazer Judô (na primeira vez eu quebrei o joelho e na segunda a costela e então me dei por vencido. rsssss) resolvi arriscar e gostei bastante.

É um ótimo esporte para os gordinhos… Porque ele acontece todo no chão… tem poucas quedas… Não que eu seja preguiçoso de ficar em pé… pensando bem… eu sou um pouquinho… Mas é que o esporte se desenvolve no chão mesmo e isso causa menos impacto e machuca menos… eu disse menos, porque no começo eu saia do Jiu-Jitsu e ia direto pro hospital porque doía tudo… até a alma.

Jiu-Jitsu contra as calorias
Jiu-Jitsu contra as calorias

Depois de um tempo aceitei que fazer esporte dói  mesmo e desencanei até que as dores foram sumindo… e meu corpo foi ficando mais forte.

Gente, vou dizer um negócio… Jiu-Jitsu cansa… mas cansa muito. E é isso que eu achei legal como esporte para gastroplastizados, porque é rápido. Você vai e em 5 minutos você faz mais esforço do que nos últimos 5 anos da sua vida.

Ai você senta, respira e depois de um tempinho está pronto para… na verdade para ir embora… mas ai o professor manda você lutar de novo e a tortura continua…

Mas no final é muito bom, gasta muita caloria. Junto comigo tinha um aluno, o Leandro que resolveu treinar todo dia… ela não era gastroplastizado, mas pesava o mesmo que eu e emagreceu uns 40 kg…  Depois ele sumiu… não de magrice, mas de eu não ver ele mais nos treinos.

Porém, apesar de ser bem legal eu dei uma parada… sei lá.. talvez porque eu tenha essa mania de me auto-sabotar… também porque o dinheiro começou a ficar curto em casa, ou ainda porque eu cansei de apanhar um pouco… Não é que você apanha de forma humilhante e dolorida… não se trata disso, mas no começo é muito difícil acertar os golpes e quando o professor começou a ensinar uns golpes com 30 movimentos diferentes meu TDAH deve ter falado mais alto… sei lá.. mas pretendo voltar ano que vem.

Pra resumir, preciso ser sincero. De nada vale essa cirurgia se você não fizer um esporte no mínimo 3x por semana… É sério! Não adianta nada.

Eu sei que é dureza, porque todo gordinho já é sedentário por natureza, pelo fato de estar gordinho já é uma dificuldade praticar esporte porque se machuca todo, mas depois da cirurgia tem que fazer se não acontece o que aconteceu comigo. Volta a engordar.

Nossa vida não é saudável, escritório, casa, sofá, geladeira, cama… isso vai matando a gente aos poucos. SE VOCÊ NÃO VAI FAZER EXERCÍCIO ENTÃO DESISTA!

 

 

E então a vida continua…

Será que sou tão azarado assim?
Será que sou tão azarado assim?

Oi pessoal, tudo bem. Algumas pessoas estão curiosas para saber como eu estou. Eu estou bem, saúde vai bem, mas emagrecer que é bom nada. Depois dos 145kg eu fui para 104kg e agora estacionei nos 120kg, e estou assim já faz um bom tempo. Não sei se agradeço ou fico puto, mas estacionei ai.

Fazendo os cálculos de IMC eu nem cheguei a sair da obesidade grau II – grave após a cirurgia e agora voltei para a de grau III, também conhecida como pé na cova. Mas apesar disso minha saúde vai bem.

Procurei estatísticas oficiais a respeito da reengorda após a cirurgia mas não achei nada oficial, somente aquela história que a gente ouve por ai que 30% das pessoas que fazem a cirurgia voltam a engordar.

Pois é eu faço parte desse triste porcentagem. E é bem amargurante posso afirmar.

 

A culpa é minha??? Será mesmo??? Estou começando a duvidar.
A culpa é minha??? Será mesmo??? Estou começando a duvidar.

Achava que tudo isso era culpa minha, por não conseguir controlar minha compulsão por comida, mas depois desse tempo todo percebi que não como além da conta por uma simples razão, a própria cirurgia não deixa.

Hoje mesmo, neste calor resolvi tomar um sorvete, coloquei 3 colheradas num copo e tomei… ai me deu mais vontade… sabe como é cabeça de gordo né. Ai eu falei pra  mim mesmo… Ahhhh que se foda e fui lá e peguei mais 3 colheres. Só que depois de 30 segundos a vontade passou e eu tive que guardar o resto no freezer.

 

Logo apesar de minha compulsão não ter “sarado” a cirurgia segura bem as pontas.

Mas então porque eu engordei de volta… porra!!!

Tem uma coisa que não me sai da cabeça por nada. Conheci muitas pessoas que fizeram a cirurgia e a maioria delas emagreceu sem esforço, sem ficar indo à academia várias vezes por semana ou fazer exercícios físicos variados.

 

Por quêêêêêêêêê!!!!!!!!!!
Por quêêêêêêêêê!!!!!!!!!!

Minha pergunta é porque os outros, mesmo tendo uma vida sedentária normal como a minha, não voltam a engordar e eu engordo???? Eu não entendo. Deus eu não en-ten-doooo!!!!

Tentando encaixar atividade física no meu dia-a-dia
Ainda tentando encaixar atividade física no meu dia-a-dia

Estou tentando mudar, mas ainda não encaixei na minha vida uma prática constante de exercícios, além disso esse tal de argônio ainda não foi liberado pelas organizações médicas… é muito novo e é muito caro pra eu tentar. Acho que… sei lá…

Tem alguém ai que está engordando também? Ou só sou eu o azarado?

Plasma de Argônio seria a Salvação? Hummm… (4 anos após a cirurgia bariátrica ou gastroplastia)

efeito sanfona
efeito sanfona

Estava eu com meus 145 kg, de repente fui para 104 kg, minha melhor marca. Depois comecei a engordar e agora estou com 120Kg. É… uma merda, não acha?

Há muitos motivos para isso e o principal é que eu passei a ter uma vida muito sedentária. Muito mesmo.

E claro não consegui me adaptar a uma nova dieta com frutas a todo momento que a fominha aperta.

Pois é… agora estou procurando outras formas “fáceis” de emagrecer e eis que encontro o tal plasma de argônio.

Como há quatro anos atrás onde também não havia muita informação a respeito, tudo que eu achei até agora foi que é um procedimento sem comprovação científica suficiente.

Ele cria uma fibrose na saída do seu minúsculo estômago para diminuir a passagem que com o tempo se alarga e faz com que a cirurgia perca o efeito de saciedade que causava antes.

São necessárias até 3 aplicações (pode ser mais ou menos) e custa R$ 6.000,00 em 6x no cartão.

:-(
🙁

Tem uma coisa que eu queria falar, se você se sente péssimo por estar gordo, imagina o quanto você se sente depois de fazer a cirurgia e voltar a engordar. Multiplique essa sensação por 10X… é isso que eu sinto. Me sinto o cara mais incompetente e fracassado da face da terra.

Plasma de Argônio seria a Salvação? Hummm… (4 anos após a cirurgia bariátrica ou gastroplastia)

soldando o barrigão.
soldando o barrigão.

Plasma de argônio parece a salvação de quem, como eu,  engordou após a bariátrica, mas há pouca informação a respeito e isso não é bom.

Tem vários grupos no facebook e estava lendo um caso que não deu certo.

Basicamente o Plasma de Argônio é um maçarico que queima as laterais da portinha por onde a comida sai do estômago.

Quando faz isso cria cicatrizes e isso faz com que ocorra uma estenose (posso estar falando besteira usando este termo), ou seja, o buraquinho encolhe.

A cada aplicação ele encolhe mais.

Pelo que entendi ocorre uma fibrose, ou seja, uma espécie de cicatrização (o corpo cria um tecido diferente do normal para curar a ferida).

O problema é que essa cicatrização pode ser excessiva dependendo da pessoa, ou no caso que eu vi no facebook, o médico pode exagerar na aplicação do plasma pra ganhar uns troquinhos a mais e ai fechar demais.

Se isso acontece ferrou! Tem que refazer a cirurgia bariátrica.

É importante dizer que tudo isso eu descobri fuçando na internet, ou seja, não conversei com nenhum médico ou profissional da solda (sim eles usam plasma de argônio para soldar e cortar aço também)

São geralmente 3 aplicações, mas não é obrigatório. No caso da moça do Facebook parece que o médico quis ganhar um dinheirinho a mais fazendo uma desnecessária 3ª aplicação que causou a tal estenose (o buraquinho fechou demais).

Infelizmente ainda é caro demais e há pouca informação a respeito dos riscos. Procurei mas não achei nada, se alguém tiver mais informação é só comentar aqui. 🙂

 

Plasma de Argônio seria a Salvação? (4 anos após a cirurgia bariátrica ou gastroplastia)

Plasma de Argônio
Plasma de Argônio

Oi pessoal. Vim aqui porque apareceu uma luz no fim do meu túnel de obesidade. O plasma de argônio.

O que é isso?

Basicamente é um maçarico que faz com que  o buraquinho pelo qual a comida sai em direção ao intestino se feche novamente.

Depois de 2 anos essa abertura costuma ficar mais larga e por isso aquela sensação de saciedade dura muito menos.

Liguei para uma clínica e 3 aplicações custam R$ 6.000,00 dividido em 6x no cartão…. Vixe!!!

Nem adianta ligar pro convênio, isso eles não cobrem mesmo.

Estou procurando uma clínica que faça o procedimento aqui no ABC paulista, mas não encontrei nenhuma ainda.

Abaixo eu deixo um vídeo bem esclarecedor a respeito… quer dizer… isso é tudo que eu sei até agora.

 

Continue lendo “Plasma de Argônio seria a Salvação? (4 anos após a cirurgia bariátrica ou gastroplastia)”

4 anos após a cirurgia Bariátrica ou Gastroplastia

Vilão eu… hummm

Nossa, faz um tempão que eu não escrevo aqui.

Não escrevo mais porque acredito que a missão do site já tenha atingido seu objetivo, mostrar como é o pós-cirúrgico da gastroplastia.

Não escrevo mais porque muitos dizem nos comentários que no final sou só um mal exemplo, um vilão. E pode ser que tenham razão, afinal não atingi minha meta e agora só engordo.

Talvez mostrar como é a vida após a cirurgia, principalmente no meu caso que considero um fracasso seja deprimente demais, porque a gente se sente um lixão ainda maior do que antes da cirurgia.

No momento são 120 Kg, sendo que cheguei à 104 kg. Faltou pouco para chegar abaixo de cem mas não deu.

Algumas pessoas ficam dizendo pra eu não desistir e tudo mais, mas eu não desisti não. Só segui a vida como era antes, e esse foi o pior erro.

Eu demorei pra decidir, pesquisei muito antes de apelar para cirurgia, sabia que tinha que mudar de atitude mas simplesmente não deu… não consegui. Não tenho saco pra academia, antes eu até encarava uma caminhada, mas agora que moro em cima do morro fica difícil de se aventurar. Preguiça? Humm não, mais que isso.

Ui ui ui

Trabalhando das 8h às 22h30 o pouco tempo que me resta é descansar. Não sou mais um garotão. Não tenho mais aquele pique todo.

A Bibi, já pediu pra eu reduzir a carga horária e farei isso semestre que vem, mas vou ficar com saudade do dinheirinho extra no final do mês.

Então fazendo uma retrospectiva para avaliar porque não deu certo, acredito que seja isso. Ao invés de praticar mais esporte eu comecei a trabalhar mais. Ao invés de comer coisas saudáveis eu continuei com minha alimentação alienada pela indústria alimentícia (bolos, bolachas, refrigerantes etc) Embora a quantidade tenha diminuído, e muito, ainda não consigo comer uma maça ao invés de uma bolacha, ou um pão com manteiga.

Você deve estar se perguntando se eu voltei a comer como antes. A resposta é não. Almoço e janta são pratos pequenos, porque não cabe mesmo. Mas até às 22h da noite tem que rolar um lanchinho porque a quantidade da janta não é suficiente pra durar até lá. Esse lanchinho geralmente é uma tranqueira ou outra. Eu procuro comer tranqueiras menos agressivas como um pão de queijo ao invés de uma coxinha. Mas a verdade é que não consigo ficar sem as guloseimas. Acho que é resquício da infância, quando minha mãe me privada de todo doce que ela conseguia.

Até o Mocotó emagreceu!

Na verdade depois da cirurgia minha relação com meu peso PIOROU de maneira devastadora pra minha auto-estima. Me sinto um fracassado, nem costurando o estômago eu para de comer. Eu sinto que meus amigos e parentes até se afastaram de mim por não me ver magérrimo como acontece com as outras pessoas.

Conheço um monte de gente que virou um palito sem o menor esforço e isso me deixa mais triste ainda. O que eu tenho de errado meu Deus!!! 

Desculpe a melancolia, mas ando me sentindo assim, afinal todo mundo emagrece, menos eu… até o Mocotó emagreceu e eu aqui!

1050º dia após a cirurgia Bariátrica ou Gastroplastia

o trabalho está me engordando. Por isso eu digo, quanto mais dinheiro mais barriga.
Quanto mais trabalho mais barriga.

Puxa, faz tempo que eu não escrevo. Então aqui vão as últimas notícias.

Estou engordando novamente a passos largos, hoje estou com 115,6 Kg, mas tem um motivo.

Vida extremamente sedentária!

Parei de caminhar porque me mudei para uma colina e todos os caminhos de volta para minha casa são uma subida. Isso me desestimulou um pouquinho.

Mas não é só isso, trabalhar também engorda. Como sabem sou publicitário e tenho uma agência de publicidade e design. O trabalho na minha empresa aumentou consideravelmente, eu sento na cadeira, trabalho, trabalho.

Fico sentado praticamente 8h por dia, só me levanto para dar aulas a noite. Que faço de pé e volto 23h para casa.

Ai fica meio difícil de levantar cedo pra caminhar, ainda mais quando se tem uma ladeira pra subir. Tá pode dizer que eu sou preguiçoso, aliás é assim que eu me sinto… Maldita culpa. Aliás acho que todo gordinho sofre disso. Culpa… ele tá sempre se sentindo culpado né… é assim com você também?

Não que eu esteja reclamando do trabalho, mas cansa e consecutivamente engorda também.

Quanto a comer, eu como normalmente. E de forma anormal eventualmente. Mas não é eventualmente de gordo, é eventualmente mesmo.

Já aprendi bem a controlar os dumppings e a cada dia eu sei mais quando parar antes de passar mal. E isso é a coisa boa da cirurgia, você aprende a se controlar pra não passar mal, porque a cabeça de gordo tá sempre te dizendo lá no pé do ouvido que ainda cabe mais uma colherinha!

Por falar em coisa desagradável, desisti de ir no Marçal, toda vez que eu ia eu comia mais pela depressão que eu ficava… o carinha baixo astral. Pode ser um excelente cirurgião, mas é péssimo com pessoas, principalmente pessoas que não conseguem fazer dieta. A ironia é que elas vão até ele exatamente por não conseguem fazer dieta e depois ele fica bravo que elas  não seguem a dieta… Rssss

Mas não desisti da vida, aliás por falar nisso eu estou com pedra na vesícula que o sr. Marçal queria tirar a qualquer custo. Como ele era péssimo como ser humano resolvi ir ao médico que me deu várias dicas antes de fazer a cirurgia, aliás um médico que é contra a cirurgia bariátrica. O Dr. Vitor Cirurgião Gastroenterologista do Hospital Brasil em Santo André – SP. Apesar de ser contra ele me indicou a cirurgia.

Para quem estiver a fim de fazer a cirurgia recomendo um papo com ele.

No meio do caminho tinha uma pedra Tinha uma pedra no meio do caminho Tinha uma pedra No meio do caminho tinha uma pedra.  Nunca me esquecerei desse acontecimento Na vida de minhas retinas tão fatigadas. Nunca me esquecerei que no meio do caminho Tinha uma pedra Tinha uma pedra no meio do caminho No meio do caminho tinha uma pedra.
No meio do caminho tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
Tinha uma pedra
No meio do caminho tinha uma pedra.
Nunca me esquecerei desse acontecimento
Na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
Tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
No meio do caminho tinha uma pedra. Carlos Drummond de Andrade… Sim, esse blog também é cultura.

Segundo ele não é necessário tirar a pedra se ela não está causando mal. O perigo é ela sair da vesícula e causar pancreatite. Mas a pancreatite só é mortal em 10% dos casos e só se não for tratada. Acontece que ela não é nada silenciosa e aos primeiros sintomas iniciasse o tratamento e tudo bem. Na verdade ele me deu a opção de operar ou não. As chances de “dar merda” são as mesmas. Corro um certo risco com a pedra e corro um certo risco retirando a pedra na cirurgia. Logo decidi ficar com ela enquanto não estiver me causando mal.

Mudando de assunto

Meu irmão está me chamando para fazer Jiu Jitsu a um tempão (lembra que eu fazia judô e me laquei) e não consigo achar espaço na minha agenda. Fora o medo de me machucar por estar tão fora de forma. Mas como ele disse é melhor começar errado do que não começar, não é mesmo. 

to me sentindo meio gelatina
to me sentindo meio gelatina

Mas eu tenho minha pontinha de receio, outro dia eu fiquei com a barriga dolorida como se tivesse feito abdominais o dia todo só de ficar encolhido por 2 horas em uma sala gelada em uma reunião na escola. Tem noção, ficar dolorido de se encolher no frio… eu tô muito, mas muuuuuito fora de forma.

Outro dia também depois de montar um daqueles armários que se coloca na área de serviço, fiquei o dia seguinte todo dolorido. Me sinto uma gelatina ambulante.

Vou ver se consigo começar na próxima terça. Coragem!!!

Desculpem pela demora, mas é que o trabalho anda me ocupando demais, aliás, eu nem deveria estar escrevendo e sim fazendo uma agenda para 2014… Fui!!!