Plasma de Argônio seria a Salvação? Hummm… (4 anos após a cirurgia bariátrica ou gastroplastia)

efeito sanfona
efeito sanfona

Estava eu com meus 145 kg, de repente fui para 104 kg, minha melhor marca. Depois comecei a engordar e agora estou com 120Kg. É… uma merda, não acha?

Há muitos motivos para isso e o principal é que eu passei a ter uma vida muito sedentária. Muito mesmo.

E claro não consegui me adaptar a uma nova dieta com frutas a todo momento que a fominha aperta.

Pois é… agora estou procurando outras formas “fáceis” de emagrecer e eis que encontro o tal plasma de argônio.

Como há quatro anos atrás onde também não havia muita informação a respeito, tudo que eu achei até agora foi que é um procedimento sem comprovação científica suficiente.

Ele cria uma fibrose na saída do seu minúsculo estômago para diminuir a passagem que com o tempo se alarga e faz com que a cirurgia perca o efeito de saciedade que causava antes.

São necessárias até 3 aplicações (pode ser mais ou menos) e custa R$ 6.000,00 em 6x no cartão.

:-(
🙁

Tem uma coisa que eu queria falar, se você se sente péssimo por estar gordo, imagina o quanto você se sente depois de fazer a cirurgia e voltar a engordar. Multiplique essa sensação por 10X… é isso que eu sinto. Me sinto o cara mais incompetente e fracassado da face da terra.

Plasma de Argônio seria a Salvação? Hummm… (4 anos após a cirurgia bariátrica ou gastroplastia)

soldando o barrigão.
soldando o barrigão.

Plasma de argônio parece a salvação de quem, como eu,  engordou após a bariátrica, mas há pouca informação a respeito e isso não é bom.

Tem vários grupos no facebook e estava lendo um caso que não deu certo.

Basicamente o Plasma de Argônio é um maçarico que queima as laterais da portinha por onde a comida sai do estômago.

Quando faz isso cria cicatrizes e isso faz com que ocorra uma estenose (posso estar falando besteira usando este termo), ou seja, o buraquinho encolhe.

A cada aplicação ele encolhe mais.

Pelo que entendi ocorre uma fibrose, ou seja, uma espécie de cicatrização (o corpo cria um tecido diferente do normal para curar a ferida).

O problema é que essa cicatrização pode ser excessiva dependendo da pessoa, ou no caso que eu vi no facebook, o médico pode exagerar na aplicação do plasma pra ganhar uns troquinhos a mais e ai fechar demais.

Se isso acontece ferrou! Tem que refazer a cirurgia bariátrica.

É importante dizer que tudo isso eu descobri fuçando na internet, ou seja, não conversei com nenhum médico ou profissional da solda (sim eles usam plasma de argônio para soldar e cortar aço também)

São geralmente 3 aplicações, mas não é obrigatório. No caso da moça do Facebook parece que o médico quis ganhar um dinheirinho a mais fazendo uma desnecessária 3ª aplicação que causou a tal estenose (o buraquinho fechou demais).

Infelizmente ainda é caro demais e há pouca informação a respeito dos riscos. Procurei mas não achei nada, se alguém tiver mais informação é só comentar aqui. 🙂

 

Plasma de Argônio seria a Salvação? (4 anos após a cirurgia bariátrica ou gastroplastia)

Plasma de Argônio
Plasma de Argônio

Oi pessoal. Vim aqui porque apareceu uma luz no fim do meu túnel de obesidade. O plasma de argônio.

O que é isso?

Basicamente é um maçarico que faz com que  o buraquinho pelo qual a comida sai em direção ao intestino se feche novamente.

Depois de 2 anos essa abertura costuma ficar mais larga e por isso aquela sensação de saciedade dura muito menos.

Liguei para uma clínica e 3 aplicações custam R$ 6.000,00 dividido em 6x no cartão…. Vixe!!!

Nem adianta ligar pro convênio, isso eles não cobrem mesmo.

Estou procurando uma clínica que faça o procedimento aqui no ABC paulista, mas não encontrei nenhuma ainda.

Abaixo eu deixo um vídeo bem esclarecedor a respeito… quer dizer… isso é tudo que eu sei até agora.

 

Continue lendo “Plasma de Argônio seria a Salvação? (4 anos após a cirurgia bariátrica ou gastroplastia)”

4 anos após a cirurgia Bariátrica ou Gastroplastia

Vilão eu… hummm

Nossa, faz um tempão que eu não escrevo aqui.

Não escrevo mais porque acredito que a missão do site já tenha atingido seu objetivo, mostrar como é o pós-cirúrgico da gastroplastia.

Não escrevo mais porque muitos dizem nos comentários que no final sou só um mal exemplo, um vilão. E pode ser que tenham razão, afinal não atingi minha meta e agora só engordo.

Talvez mostrar como é a vida após a cirurgia, principalmente no meu caso que considero um fracasso seja deprimente demais, porque a gente se sente um lixão ainda maior do que antes da cirurgia.

No momento são 120 Kg, sendo que cheguei à 104 kg. Faltou pouco para chegar abaixo de cem mas não deu.

Algumas pessoas ficam dizendo pra eu não desistir e tudo mais, mas eu não desisti não. Só segui a vida como era antes, e esse foi o pior erro.

Eu demorei pra decidir, pesquisei muito antes de apelar para cirurgia, sabia que tinha que mudar de atitude mas simplesmente não deu… não consegui. Não tenho saco pra academia, antes eu até encarava uma caminhada, mas agora que moro em cima do morro fica difícil de se aventurar. Preguiça? Humm não, mais que isso.

Ui ui ui

Trabalhando das 8h às 22h30 o pouco tempo que me resta é descansar. Não sou mais um garotão. Não tenho mais aquele pique todo.

A Bibi, já pediu pra eu reduzir a carga horária e farei isso semestre que vem, mas vou ficar com saudade do dinheirinho extra no final do mês.

Então fazendo uma retrospectiva para avaliar porque não deu certo, acredito que seja isso. Ao invés de praticar mais esporte eu comecei a trabalhar mais. Ao invés de comer coisas saudáveis eu continuei com minha alimentação alienada pela indústria alimentícia (bolos, bolachas, refrigerantes etc) Embora a quantidade tenha diminuído, e muito, ainda não consigo comer uma maça ao invés de uma bolacha, ou um pão com manteiga.

Você deve estar se perguntando se eu voltei a comer como antes. A resposta é não. Almoço e janta são pratos pequenos, porque não cabe mesmo. Mas até às 22h da noite tem que rolar um lanchinho porque a quantidade da janta não é suficiente pra durar até lá. Esse lanchinho geralmente é uma tranqueira ou outra. Eu procuro comer tranqueiras menos agressivas como um pão de queijo ao invés de uma coxinha. Mas a verdade é que não consigo ficar sem as guloseimas. Acho que é resquício da infância, quando minha mãe me privada de todo doce que ela conseguia.

Até o Mocotó emagreceu!

Na verdade depois da cirurgia minha relação com meu peso PIOROU de maneira devastadora pra minha auto-estima. Me sinto um fracassado, nem costurando o estômago eu para de comer. Eu sinto que meus amigos e parentes até se afastaram de mim por não me ver magérrimo como acontece com as outras pessoas.

Conheço um monte de gente que virou um palito sem o menor esforço e isso me deixa mais triste ainda. O que eu tenho de errado meu Deus!!! 

Desculpe a melancolia, mas ando me sentindo assim, afinal todo mundo emagrece, menos eu… até o Mocotó emagreceu e eu aqui!