265º dia após a cirurgia Bariátrica ou Gastroplastia

Fazendo gordice sem parar!!!
Fazendo gordice sem parar!!!

Hoje o dia não foi bom pra mim. Não que tenha sido uma droga, mas é que eu exagerei na gordice… quer dizer… exagerei não… ahhh pensando bem, exagerei sim… pensei com cabeça de gordo.

Tudo começou ontem a noite quando resolvi comprar chocolate… eu cheguei até a esconder da Bibi, mas acabei contando e dividindo o chocolate. Gordice total. Esconder comida é literalmente coisa de gordo né… pensar como gordo, agir como gordo… me sinto um lixo.

Hoje eu acordei e não fui caminhar porque estava garoando, mas fui ao centro para me pesar e nada mudou… quer dizer… nem sei direito porque eu estava encapotado né… em fim.. não mudou muita coisa mesmo.

Hoje tive que fazer uma via crucis por são paulo e acabei parando naquela mesma padaria de domingo e pedi o mesmo pão na chapa com um café. Até ai tudo bem… mas a gordice dispertou e acabei comprando 50g. de Carolina… quer dizer, eu paguei por 50g. mas a mocinha muito simpática colocou 95g. Acho que ela foi com a minha cara… sei lá!

Ou seja, fiz merda né… não tô me exercitando e comendo comida calórica… essa é a receita certa para a engorda.

Chegando no Senac para dar aula lá pelas 18h bateu aquele desespero de comer… comecei a tremer e sai correndo para a primeira budega que tinha salgado… Comprei um hamburguer que é a única coisa com mais proteína que vendia lá… Salvou a pele, vamos ver se consigo aguentar até às 22h30 né.

Tô fazendo muita gordice… parece que esse friozinho é bem propício às escapulidas engordativas… PRECISO PARAR!

11 respostas para “265º dia após a cirurgia Bariátrica ou Gastroplastia”

  1. oi fernando, eu acompanho seu dia-dia faz muito tempo, leio todo dia, e raramente comento algo. ja fiz algumas perguntas, daquelas do tipo “vale a pena?” …
    eu operei em 30/08/10 e perdi 30 klios, o que era a minha meta. em abril, tive q retirar a vesicula. o fato é que enquanto vc “reclama” q come demais, e consegue comer coisas a mais que seu corpo precisa, eu simplesmente como MUITO POUCO. vc falou q come 220gramas… ja teve dia q fui almocar e comi 90gramas (empurrando muito). e esse fato de comer pouco, ME CHATEIA MUITO… o prazer da comida, de sentar com marido e conseguir comer um pedaco/ 2 pedacos de pizza vendo filme (como fazia antigamente), nao rola mais… ou seja, comer pouco me deixa muito triste, fico com uma sensação q meu corpo precisa de mais, mas nao cabe… dai o saco de ficar comendo de 2/2 horas também me deixa meio puta… doce?quando consigo, 1 Bis…. serio 1 bis…. e aí amigo… sera q conseguiremos achar um meio termo?? força aí!!!

    1. Ah Silvia… se desapega…. poxa, queria tanto parar de pensar em comida. Fico super feliz quando consigo comer pouco. Certa vez li aquele livro famoso “quem mexeu no meu queijo” e sua reclamação me lembrou dele. Puxa você tá vivendo pra comer e não comendo pra viver… para com esse comportamento repetitivo do passado e passa aproveitar o melhor que a vida tem pra te oferecer. Hoje vc está mais saudável, com sua família… garanto que ver um filme juntinho é muito melhor que se empanturrar de comida. Comer é bom, mas não é a melhor coisa do mundo… então se desapega de vez. Tenho amigos que se a barriga não lembrar eles morrem de fome… nem pensam em comida. Gostaria muito de ser assim e você é… então aproveite sua vida nova.
      Um beijão
      FE

      1. se pensarmos direito, nós dois pensamos demais em comida. vc querendo comer menos e eu querendo comer mais. o fato é que nenhuma das 2 coisas estão ao nosso alcance todos os momentos. Quando analiso bem friamente, nao tem pq eu ficar triste, estou comendo o que eu consigo comer e ponto final.. mas o que pega é com a sensação de desconforto q sinto logo após comer. tipo, comer nao é mais uma coisa natural… incomoda, se forço, chega a doer… e agua entao?? todo 1 litro de liquidos goela´baixo por pura necessidade. água é feita de cimento parece! tenho amigas q tem 10 anos de cirurgia, e elas hoje comem normal, nao sentem nada. Uma delas me falou q so vou ter bem estar total, meados de 2 anos…. estou indo pra 9 meses…. estou quase na metade do caminho. Trato com psicologo, tomo ansiolíticos e vou todo mes na nutricionista….olha, dia dia, eu sempre estou “te lendo”, e tenha certeza q estou torcendo mto pelo seu sucesso… FORÇA….

  2. Olá Fernando, como vai? Descobri a pouco seu blog e estou lendo sempre a última atualização e uns 5 a 6 dias para traz, estou no 60o dia.

    Tenho 34 anos, casada, 1 filho de 2 anos, analista de sistemas, e como todo bom gordo, briguei com a balança desde criança. Tomei várias bolinhas, dietas loucas, malhação em excesso, enfim, uma loucura… até que encontrei o Vigilantes do Peso. Pronto, aprendi a comer direito, emagreci na época os 15 quilos necessários e mantive por 5 anos, até a primeira depressão. Prozac = ganho de peso. Depois disso, nada de emagrecer, mesmo comendo direitinho e com exercícios.

    Parei de fumar = comecei a sentir gosto da comida. Engordei mais. Quando voltei a comer direito, não emagreci.

    Bem, da minha “alta” do Vigilantes do Peso até esse ponto, foram os 15 quilos novamente. Casei, engordei 2 quilinhos, tive sindrome metabolica, cuidei, não emagreci. Acredita que engordi tomando sibutramina!? Que ódio!!!!

    Engravidei, tive meu filhote. Ganhei 16 quilos na gestação, emagreci 13 quilos em 4 meses, voltei a trabalhar, parei de amamentar na marra, resultado: nova depressão e novo ciclo de engorda punitiva.

    Hoje, quase dois anos depois disso tudo, estou aqui, com 1,50 m e 95 quilos, e nada, veja, NADA que faço me faz perder peso. Dieta com acompanhamento da nutricionista, e sim, dieta séria, comendo direito. Acompanhamento com endócrino, psiquiatra (graças a Deus sem drogas desde o meio do ano passado), psicologa, gastro, enfim, tá punk.

    Tenho resistência a insulina, tomo remédio para controlar a pressão, tenho refluxo, apnéia, colesterol alto e agora, para dar o pingo no meu “i”, descrobri que minha esteatose hepatica está agravada e meu fígado está imenso, assim como meu estomago.

    Outro dia estava subindo as escadas do prédio, meu marido ia a frente, e eu atras de mãos dadas com meu filho. Eis que ele se vira para mim e diz: “Mamãe, corre, vamos pegar o papai”, nossa, aquilo para mim foi um tiro no coração… me senti um monte de cocô…

    A partir desse dia, comecei a pensar na cirurgia, que até então, me colocava super contra, pois só conheci gente que não queria aprender comer nem fazer exercícios fazendo, achava aquela “mutilação” desnecessária. Veio o resultado da minha ressonância e vi o meu big figado, pronto, foi o bastante.

    Com o apoio da minha psicologa, que também é contra o uso da cirurgia indiscriminadamente, comecei a pesquisar sobre o assunto e achei seu blog.

    Para mim foi fantástico ver que alguém que pensava o mesmo que eu sobre a cirurgia se sentiu beneficiado.

    O risco de morte é o de qualquer outra cirurgia se fizer tudo corretamente pelo que tenho visto. O que é pior, eu me “mutilar” e ter restrições a alimentos que hoje já não como ou morrer de cirrose, diabetes, AVC ou enfarte? Forte né? Quero ver meu filho pelo menos se formar em alguma coisa, sei lá.

    Tenho uma bancada de dúvidas, já marquei uma consulta com um médico do Instituto Garrido, que foi super bem indicado, sexta feira vou lá, ter meu primeiro contato real com esse mundo.

    Gostaria de trocar mais idéias contigo.

    Abraços.

    Gisele

    1. Oi Gisele, eu também pensava como você… fazer a cirurgia não só parecia algo radical de mais como também seria um atestado da minha falta de força de vontade e mais um monte dessas coisas idiotas que a gente põe na cabeça. Nunca fui no vigilantes do gordo… digo… vigilantes do peso, mas conheço os métodos. O que vc está sentindo na pele hoje eu sentia a mesma coisa antes. Eu resolvi fazer a cirurgia depois de muita pesquisa e de muita relutância da minha parte, afinal é cirurgia… eu podia morrer.
      Mas se não fizesse com certeza eu ia morrer, cedo ou tarde… e pelo jeito que eu tava ia ser mais cedo do que tarde.
      Mas a verdade é que a cirurgia em si não é um milagre e sim um reestart… é uma oportunidade para você mudar essa relação doentia que temos com a comida. Depois de um tempo você pode perfeitamente voltar a engordar, como acontece com muitas pessoas se não mudar sua cabeça.
      Perde peso eu estou perdendo, mas a luta contra minha própria gordice é grande… eu vivo me passando rasteira… mas vou aprendendo a lidar com isso dia após dia. Se você resolver fazer, tenha em mente que você tem que querer do fundo do seu coração não mais se entupir de comida e voltar a comer como uma pessoa normal, por fome e não por vontade. Por vou contar… trocar de estômago é facinho comparado com mudar a cabeça.
      Um beijão e boa sorte
      FE

      1. Olha Fê (intimidade hein rs), o que mais me deixa p. da vida é que eu como direito, e essa relação com a comida não existe desde que tive “alta” do VP. Emagreci muito e me mantive. Já fiz essa parte da reedução. Acompanho mensalmente com a endócrino e com a nutri (além de semanalmente com a psicologa e mensalmente com a psiquiatra). Putz, se colocar aqui o meu cardápio do dia você chora…

        Convivo no trabalho com comentários do tipo: “Ah, fala sério Gi, quando você chega em casa você se entope de chocolate e coxinha né, não é possível”. Como direito e na quantidade certa. Claro, se tenho vontade de comer uma pizza, como, um pedaço me satisfaz. Se tenho vontade de chocolate (raro, não curto muito doces) eu como, um bombom. Enfim, não tomo refrigerante, não como fritura, não como doces, e minha dieta gira em torno de 1500 calorias, deveria emagracer. MAS NÃO EMAGREÇO.

        Aí pensar que já tenho uma vida de vigilia e que mesmo assim não emagreço e vou ter que “apelar” para a cirurgia me pira.

        Creio eu (e minha psicologa compartilha da opinião após quase dois anos me acompanhando) vou me adaptar muito fácil a nova vida.

        Eu já tenho minhas dúvidas… amo tomar água, ao goles, grandes… chego a tomar meio litro de uma única vez e tomo quase três litros por dia, tomar golinhos vai me pirar… como pouquissima carne vermelha, ter que comer também vai ser complicado… de resto, acho que não vai pegar muito não, claro, não estou contando a piração de ter “jogado fora” um pedaço de mim né. Isso pesa muito.

        Enfim, vou continuar lendo seus relatos, que até agora, ao meu ver foram os mais realistas. Não que os outros não sejam, mas sempre pensei meio “masculinamente” e relatos de mulheres as vezes me soam “fantasiosos” ou cobertos de muito “sentimento”. Sou prática, lógica e direta, quasae um homem como diz meu marido, então está sendo super legal ter esse contato contigo pelo blog.

        Estou pesquisando, observando, conversando com outras pessoas que já passaram por isso (trabalho num hospital que é referencia nisso, tem uma equipe bárbara, aqui um bando de gente fez, precisando ou não), marquei minha consultinha com o cirurgião, vou continuar minha rotininha normal, até realmente ter certeza do que vou fazer.

        Uma coisa é fato: quero viver, e ativa, não numa cama, pelo menos até os 75 anos. No pé que está, se bobear não chego aos 40.

        Taí, minha imagem nem me encomoda tanto (hipocrisia se disser que não encomoda nada), o que mais me pira é ter que tomar toneladas de remédios de uso contínuo todo santo dia e a cada visita na médica que me acompanha ela descobrir uma nova patologia… isso é muito ruim.

        Não poder correr atras do meu filho, não poder namorar meu marido plenamente (fala sério, com quase 100 quilos não dá pra falar que a vida sexual é maravilhosa, há uma baita limitação física), enfim, não ter qualidade de vida incomoda muito.

        RESPONSABILIDADE. Seria essa a palavra que deveria usar para a decisão da cirurgia certo? Fazer as coisas com o pé no chão, sabendo que realmente é um “renascer” (não gosto da comparação com borboletas, tô muito grande pra ser uma lagarta), ou seja, vida nova! Isso mesmo ou tô viajando??

        Vou te encher muito a paciência ainda viu… vai vendo…

        1. Oi Gisele, então quando era imenso no auge dos meus 145 kilos eu também achava que não comia muito… pra ser sincero eu não comia muito mesmo, mas quando comia parecia um mamute descontrolado. Meu maior prazer era comer… sério… se não tinha nada pra fazer eu ia fazer uma boquinha… o pior que ainda é assim sabe. Mas fico lutando pra não entrar na velha rotina de novo.
          Se você está muito pesada não tem muita coisa que faça vc emagrecer… só exercícios pesados. Não adianta manerar na comida porque o corpo se adapta e joga contra você. O objetivo dele é sempre manter o peso atual, então comeu menos ele aumenta a absorção e diminui o metabolismo… é foda. Depois da cirurgia acontece a mesma coisa… por isso vamos parando de perder peso aos poucos até parar de vez. E depois que para se você não estiver comendo conscientemente e responsavelmente volta a engordar de novo.
          Você parece estar bem consciente dessas coisas então creio que você não terá problemas se resolver fazer a cirurgia. Quanto a água… não esquenta. A sede diminui também. E depois de alguns meses você já consegue dar suas goladas de novo, não meio litro, mas também não vai fazer diferença, vai por mim, eu era igual você. Entornava meio litro de água de primeira, mas como estará mais magra seu corpo não vai mais precisar de tanto e a sede vai embora com um copo normal de água… Muita gente reclama disso que não quer perder o prazer de beber água… mas não perde não.

          1. Legal Fernando… vou continuar minhas pesquisas, minha leitura e minha luta… rs. Vamos ver até onde vai.

            Abs!

            Gisele

  3. Fernando, leio seu blog todos os dias e adoro!! Parabéns pela sinceridade e por mostrar a real da cirurgia, tb fiz já fazem 03 meses e meio e passo pelos mesmos problemas que vc!! portanto , acho que a gente é normal…rs….já emagreci 35 kilos e tb faço as minhas gordices, mas tá dando certo né? rs Continue assim, com essa força e garra…vamos chegar lá!!!!

    Abs..Débora

  4. ei :fernando vou fazer minha cirurgia dia 2 de junho na proxima quinta estou mega nervosa mas tmb tenho convicçao que deus esta comigo passeando pela net vi seu blog e amei orem por mim e voltarei pra contar como foi

  5. Oi gente, tenho 22 anos e estava lendo os comentários de vcs. Fiz minha cirurgia dia 26 de abril. Já perdi 10 kg. No começo é ruim pois nao da pra comer quase nada, tem q comer de 3 em 3 horas. Até aí tudo bem, to levando numa boa, até pq o bom da cirurgia é pode comer um pouquinho de cada coisa e se satisfazer com pouco. Nao tenho mais aquela ansiedade e vontade de comer as coisas. Nao vou mentir q nao tenho vontade de comer doce, mas com 38 dias da cirurgia ainda é cedo, e mato essa vontade com suco, iogurte e frutas.
    estou me sentindo ótima, já entrei nas minhas calças jeans e minha bota ja fechou na panturrilha…eu pesava 104kg, agora estou com 94…já até ganho uns olhares na rua haha…meu namorado me apóia e diz q está feliz pq eu estou feliz…coisa q nao era antes….até perdi cabelo por estar depressiva e sempre me achar feia…
    Entao pra quem quer fazer a cirurgia, eu com certeza recomendo. E isso q o Fernando disse da água, sente menos sede, vc toma de golinho em golinho e já satisfaz. As vezes dá vontade de virar o copo haha, mas sei q vou passar mal e vai entalar…fico pensando no resultado e fico super feliz…logo poderei comer melhor, estou paciente.
    Boa sorte pra todos..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *