4 anos após a cirurgia Bariátrica ou Gastroplastia

Vilão eu… hummm

Nossa, faz um tempão que eu não escrevo aqui.

Não escrevo mais porque acredito que a missão do site já tenha atingido seu objetivo, mostrar como é o pós-cirúrgico da gastroplastia.

Não escrevo mais porque muitos dizem nos comentários que no final sou só um mal exemplo, um vilão. E pode ser que tenham razão, afinal não atingi minha meta e agora só engordo.

Talvez mostrar como é a vida após a cirurgia, principalmente no meu caso que considero um fracasso seja deprimente demais, porque a gente se sente um lixão ainda maior do que antes da cirurgia.

No momento são 120 Kg, sendo que cheguei à 104 kg. Faltou pouco para chegar abaixo de cem mas não deu.

Algumas pessoas ficam dizendo pra eu não desistir e tudo mais, mas eu não desisti não. Só segui a vida como era antes, e esse foi o pior erro.

Eu demorei pra decidir, pesquisei muito antes de apelar para cirurgia, sabia que tinha que mudar de atitude mas simplesmente não deu… não consegui. Não tenho saco pra academia, antes eu até encarava uma caminhada, mas agora que moro em cima do morro fica difícil de se aventurar. Preguiça? Humm não, mais que isso.

Ui ui ui

Trabalhando das 8h às 22h30 o pouco tempo que me resta é descansar. Não sou mais um garotão. Não tenho mais aquele pique todo.

A Bibi, já pediu pra eu reduzir a carga horária e farei isso semestre que vem, mas vou ficar com saudade do dinheirinho extra no final do mês.

Então fazendo uma retrospectiva para avaliar porque não deu certo, acredito que seja isso. Ao invés de praticar mais esporte eu comecei a trabalhar mais. Ao invés de comer coisas saudáveis eu continuei com minha alimentação alienada pela indústria alimentícia (bolos, bolachas, refrigerantes etc) Embora a quantidade tenha diminuído, e muito, ainda não consigo comer uma maça ao invés de uma bolacha, ou um pão com manteiga.

Você deve estar se perguntando se eu voltei a comer como antes. A resposta é não. Almoço e janta são pratos pequenos, porque não cabe mesmo. Mas até às 22h da noite tem que rolar um lanchinho porque a quantidade da janta não é suficiente pra durar até lá. Esse lanchinho geralmente é uma tranqueira ou outra. Eu procuro comer tranqueiras menos agressivas como um pão de queijo ao invés de uma coxinha. Mas a verdade é que não consigo ficar sem as guloseimas. Acho que é resquício da infância, quando minha mãe me privada de todo doce que ela conseguia.

Até o Mocotó emagreceu!

Na verdade depois da cirurgia minha relação com meu peso PIOROU de maneira devastadora pra minha auto-estima. Me sinto um fracassado, nem costurando o estômago eu para de comer. Eu sinto que meus amigos e parentes até se afastaram de mim por não me ver magérrimo como acontece com as outras pessoas.

Conheço um monte de gente que virou um palito sem o menor esforço e isso me deixa mais triste ainda. O que eu tenho de errado meu Deus!!! 

Desculpe a melancolia, mas ando me sentindo assim, afinal todo mundo emagrece, menos eu… até o Mocotó emagreceu e eu aqui!

11 respostas para “4 anos após a cirurgia Bariátrica ou Gastroplastia”

  1. Oi Fernando, não sei se vai lembrar de mim. Quando eu comecei a pesquisar sobre a cirurgia, me sentindo a pior fracassada por ter sido indicada para não morrer de cirrose, achei seu site e desde então, mesmo não concordando com algumas posturas suas, te sigo.

    Cara, realmente, você já sabe qual o principal gatilho para que não tenha conseguido atingir seu objetivo: não mudar os hábitos. Mas o que parece que ainda não absorveu é a causa raiz de não ter conseguido: não mudou sua cabeça, não fez acompanhamento psicológico.

    Meu, não tem jeito, algumas coisas na vida, a gente só consegue mudar com ajuda profissional. Compulsão alimentar, uso do alimento como conforto, ansiedade, isso tudo, só análise, e algumas vezes, medicação que resolvem.

    Imagino como se sente em ver alguns que deram certo e você não dando… o que faltou foi suporte psicologico para que conseguisse lidar com a mudança. E infelizmente, nem dá pra colocar a culpa toda em você não (só uma parte, pois quando a gente quer mudar de verdade, escuta pelo menos o que o meio dá de recado). O nosso sistema de saúde é falido, estamos cercados de maus profissionais e tudo gira em torno da grana.

    O profissional de psicologia que te deu o laudo para operar deveria ser preso!!! Você não tinha, assim como pelo menos mais 5 pessoas que conheço, condições de ser operado. E se fizesse o tratamento e depois operasse, deveria ser obrigado a fazer acompanhamento. É o capitalismo imperando até na saúde.

    Eu trabalho num grande hospital, e por acaso, faço acompanhamento com a endócrino do centro de medicina ocupacional desde que fui contratada em 2006. Quando tive indicação para bariátrica, por acaso já fazia terapia a 2 anos e uma série de tratamentos. Ela era auditora do convênio para liberação. Até hoje eu faço terapia (não mais por conta da bariatrica) e acompanhamento com ela. Só este ano, o hospital teve 4 funcionários reoperados. Você tem noção do que é um cara se reoperar por que ficou mais gordo e mais doente que antes? Antes, ele operou para ser “mais fácil”, agora, está operando para sobreviver…

    Ano passado, houve um caso de lesão de coluna numa outra colega, ela abandonou o acompanhamento, não tomou se quer o suplemento… como já tinha tendencia a problemas osseos, um pequeno tombo, daqueles que a gente leva toda hora, deixou ela, após uma cirurgia delicadissima, de cama mais de 10 meses…

    Os pacientes não tem obrigação de conhecer riscos, beneficios, prós e contras, e o mercado da cirurgia bariatrica é algo altamente lucrativo, pra que contar né? Aí, pessoas que não deveriam fazer de cara a cirurgia fazem e se sentem como você depois…

    Eu ainda acho, como sempre te disse, que um bom terapeuta para te deixar mais forte e descobrir forças para seguir em frente seriam muito mais eficazes, desde o início que qualquer outra coisa… se sentir fracassado, não seguir em frente não vai mudar a situação, pelo contrário, você sabe que tende a piorar cada vez mais…

    Se não por você, faça pela vida que gerou cara… desiste não… e tô falando de saúde, não de estar gordo ou magro…

    Siga em frente e boa sorte!!!

    (se quiser trocar alguma idéia, conversar, pode me procurar)

  2. oi fernando quando eu comecei a pesquisar para fazer a cirurgia de estomago eu conheci o seu site e você virou meu super heroí mas hoje quando vi seu depoimento fiquei triste, triste em ver você ter todo o trabalho que é a gastroplastia e agora está engordando de novo, mas cara você tem força de vontade sim então volte a querer emagrecer de novo , pois o principal é querer emagrecer e você é uma pessoa muito boa e legal e pode ter certeza que eu fui muito ajudado por você e te admiro muito , amigo você tem que pensar no teu filho pois ele vai precisar muito de você, e com muito peso é dificil cuidar dos filhos sei disso pois tenho duas meninas e com menos 50 quilos esta mais fácil cuidar delas fique com deus e reveja suas prioridades e pense sempre em sua familia.

  3. Oi Fer!
    Que bom que voltou a escrever. Senti muita falta de ler seus depoimentos.

    Não fique triste. Siga sua vida um dia de cada vez. Tem muitos dias q eu erro (como errado e demais), mas tem dias que eu acerto. Acredito que com você seja assim.
    Pense positivo. Pense nos seus acertos.
    Não acho legal dar sermão.

    Abraços! Tudo de bom

  4. Oie, Fernando! Estou lendo o seu post, pois também estou pesquisando sobre bariátrica, pois desejo fazê-la, estou escrevendo um blog a respeito disso também, e o fato que me chamou a atenção é o que todos que vão se submeter a operação: engordar!
    Mas Fernando, parece que o seu caso não é um bicho de sete cabeças. A cirurgia ajuda a emagrecer, mas não emagrece sozinha! Sem a dieta apropriada e os exercícios o bicho pega, negô, rsr.
    Força e coragem, volte aos bons hábitos e vc queimara rapidinho! O Mocotó emagreceu sim, mas vc viu na foto o que tem nas mãos dele? Uma melancia! Uma fruta e não um pãozinho com manteiga, rsrs
    Força, amigo!

  5. Nossa, nem sei por onde começar, mas vamos lá, eu achei seu blog pois estou pesquisando sobre reoperação, ainda não sei se é possível, comecei pensar nisso tem pouco tempo. Desenvolvi a “doença” da obesidade desde os 8 anos, com 23 anos eu estava com 162kg, se eu era feliz? ERA e muito, eu saía sempre, tinha amigos, ia pra noite, beijava rapazes bonitos, apesar de obesa eu tenho quase 1,80 e um rosto de boneca que me favorecia. Estava tudo bem cmg, eu tinha vida social, eu era respeitada e amada por meus amigos e não me sentia menos que ninguém, até que um dia meu pai me perguntou quando eu tomaria vergonha na cara pra encarar minha obesidade extrema, mandou eu procurar um médico e operar. Comecei contar para as pessoas ao meu redor sobre a cirurgia e foi então que me veio uma mega depressão, TODO mundo disse que era louco pra falar sobre isso cmg mas tinha medo de me magoar, descobri que minha obesidade era assunto entre eles. Bom, passou, um tempo depois operei, cheguei ter 99kg, MAS com 6 meses de operada comecei ter metrorragia, isso meio que dura até hj e tomei muitos hormônios que comprometeram meu emagrecimento. Engordei uns 5kg, mas dava pra manter. Há quase um ano atrás, eu tive um situação um tanto quanto traumática, isso me gerou a descoberta de um transtorno de personalidade que eu não sabia que tinha, e com isso vieram os remédios fortes, eu tomo uma alta dosagem de antipsicótico para controlar meus impulsos, por outro lado estou com uma compulsão alimentar monstruosa, como escondida do meu marido, quero comer o tempo todo, não fico sem pães, bolos e biscoitos, passo o dia tomando café e biscoito, sempre que posso vou na cozinha do escritório e como alguma coisa. Já acordei de madrugada para comer, houve uma época de bulimia, comia e vomitava em seguida pra tirar a culpa. Confesso que raramente ainda faço. Minha auto estima está um lixo, tenho pavor de ver minha fotos, me casei recentemente e não tenho coragem de ver minhas fotos do casamento, senti vergonha de falar com os convidados, tudo porque eu estou com 118kg!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Estou enorme, odeio malhar, não como em excesso porque não cabe, mas como toda hora, eu choro e me desespero, pra mim comer muito é por exemplo, comer um pão francês no café da manhã e logo depois comer um pedacinho de pão doce, é isso que faço, e me vem a culpa, me sinto feia, tenho vergonha da minha barriga perto do meu marido, pq qdo deito de lado cai a barriga, lastimável. A questão é que eu nunca atingi minha meta e depois desatei comer. SIM eu quero fazer outra e perder 38kg. Ouvi no meio da minha família que eu ia ficar feia magrela, mas não me importo, estou vestindo GG e 46/48, não me suporto mais, vai ser um risco, vai ser radical, mas vou encarar essa…..
    Faço terapia pra encarar tudo isso, se não fosse a terapia acho que eu teria uns 150kg já.

  6. Olá,peço licença pra escrever em seu blog.
    Parabéns por tomar a iniciativa de desabafar por aqui, é um meio terapêutico válido também,porém, mesmo não o conhecendo pessoalmente, e de coração, te sugiro ajuda médica de psiquiatra, psicólogos, psicoterapias também cairão bem.
    Outra coisa, afasta-se de pessoas que te coloquem pra baixo,e,passe a orar a Deus, esse por sua vez, é seu único e verdadeiro amigo de todas as horas, é ainda o médico dos médicos, precisa mais? Que Deus lhe sabedoria, fé e saúde. Você vai vencer!

  7. Cara tu deveria escrever um livro.. Achei o teu blog fora de serie, sei que é um pouco trágico porque você não atingiu o teu objetivo, mas com certeza vai ajudar muitos que querem mudar, para não repetir o que deu errado. Estou fazendo o acompanhamento pré-operatório, dentro de 25 dias devo estar operando. Acho que o principal no teu caso foi não ter tido o acompanhamento de psicologo. Eu não curto academia, mas pretendo jogar futebol pelo menos 3 x por semana e caminhar todos os dias. Teu texto e muito bom, poderia escrever um livro !!

  8. Oi Fernando, eu fiz cirurgia faz 15 dias…. ta dificil cara mas eu foco minha mente em amanhã poder comer frutas,legumes, um pedaço pequeno de pão que tanto gosto. mas fico pensando no meu corpo magro com uma bermuda legal e uma camiseta legal… e tento disser para mim mesmo que a vida não e so comer e quer ficar bonita pra mim mesmo não para ou outros PRA MIM que sou minha maior fã.
    Acredito que voce tenha que tirar um tamanha força que tem ai dentro de voce (escondida) e dizer pra si mesmo eu vou conseguir e cara se ame se ame muitooooo pois so voce pode mudar sua vida e buscar dentro de voce o Fernando magro e feliz que voce deseja somente nos mesmos somos capazes de mudar nossa HISTÓRIA acredite em si e faça um nova HISTÓRIA pra voce. e pare de dizer que voce e um fracassado voce so esta perdido dentro de si mas tenho certeza que voce vai mudar se voce quizer.

  9. Até que enfim!

    Já tava achando que eu era alienígena!
    Na época em que operei não faltavam sites, blogs e depoimentos de recém operados relatando cada passo do pré e pós gastroplastia.
    Agora, 10 anos depois e 34 kg recuperados (quase o total do peso perdido), não encontro vivalma que faça uma confissão tão sincera quanto essa sua.
    Voltar a engordar depois da cirurgia foi, sem dúvidas, devastador pra mim. O sentimento de fracasso é enorme e, vaidosa e orgulhosa que só eu, admitir isso é foda!
    Depois de uma fase depressiva, estou começando a sentir coragem e necessidade de falar sobre isso. Não conseguia tocar no assunto sem chorar. Agora já voltei a entrar em sites sobre o assunto e talz…
    Decidi ir a um psiquiatra. Não sei se topo psicólogo. Não acredito muito em psicoterapia, mas tô começando a aceitar que ela pode me ajudar.
    O mais difícil, até agora, está sendo criar coragem para voltar ao médico que fez minha cirurgia e expor toda a situação. Não suporto levar “carão” seja lá de quem for, mas acredito que ele pode me ajudar.
    Já abri o jogo com os mais próximos, que me olhavam penalizados e evitavam tocar no assunto comigo. Falei sobre meu sentimento de fracasso, sobre minha depressão escondida (nem meu marido percebeu a gravidade da coisa) e estou mais aliviada.
    Semana passada fiz diversos exames e minha saúde tá ok, o que é péssimo, pois causa a doce ilusão de que eu posso continuar chutando o pau da barraca. Não tenho mais o menor saco pra dieta. Como frutas e verduras, mas como também salgados, doces e etc. Tudo aquilo que eu me privei a vida inteira e que, ironicamente, passei a comer depois da cirurgia. A verdade é que eu só queria não precisar pensar na comida como problema. Pra mim ela é…

    Bem, conto com seu apoio para procurar meu cirurgião, buscar ajuda psicológica e, quem sabe, tentar o plasma de argônio pra dar uma força e um estímulo.

    Muuuito obrigada pela sinceridade do depoimento!

    Ajuda muito saber que não estamos sós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *